Luto no cinema brasileiro - Eduardo Coutinho

Cineasta Eduardo Coutinho é assassinado no Rio; filho é suspeito

Crime foi cometido a facadas. Filho está internado sob escolta e deve ser detido ao receber alta

Eduardo Coutinho morreu neste domingo (2) aos 81 anosReprodução / Pipoca Moderna

O cineasta Eduardo Coutinho, de 81 anos, foi assassinado a facadas neste domingo (2) dentro de sua casa, no bairro da Lagoa, zona sul do Rio de Janeiro. A mulher dele, Maria das Dores Coutinho, de 62 anos, também foi ferida. Segundo a Polícia Civil, Daniel Coutinho, filho do cineasta, é o autor do crime. 
O rapaz, que sofre de problemas mentais, teria tentado se matar em seguida. Daniel está internado sob custódia policial no Hospital Miguel Couto. Ele deve preso ao receber alta.

A mulher do cineasta foi levado ao mesmo e está em estado gravíssimo no Hospital Municipal Miguel Couto.

O corpo do cineasta foi levado para o Instituto Médico Legal. A Divisão de Homicídios assumiu as investigações. O delegado responsável pelo caso estava no hospital por volta das 15h45 para colher o depoimento de Daniel.

Coutinho era considerado um dos maiores documentaristas do Brasil. Entre seus trabalhos de maior destaque estão Cabra Marcado para Morrer, Edifício Master, Jogo de Cena e Babilônia 2000. Em 2007, o cineasta ganhou um Kikito de Cristal, principal premiação do cinema brasileiro, pelo conjunto da obra. Seu último documentário, As Canções, foi lançado em 2011 e foi o 12º longa-metragem dirigido por ele.

Leia no Forte:

Comentários