Casa do Cantador terá 2ª edição do ano da Sexta do Repente




Apresentações reúnem repentistas de Brasília e convidados


Nesta sexta-feira (27) não haverá jogos da Copa do Mundo, mas Brasília continuará fervilhando. Uma das opções para os visitantes e brasilienses aproveitarem essa véspera de jogo do Brasil é a 2ª edição do projeto Sexta do Repente, realizado às 20h no anfiteatro da Casa do Cantador.

A entrada é franca e a classificação é livre. O Distrito Federal será representado pelas duplas Donzílio Luiz e Valdenor de Almeida e Jonas Andrade e João Santana. O espetáculo conta ainda com os repentistas convidados Moacir Laurentino da Paraíba e Geraldo Amâncio do Ceará.
30 Edicões de Sucesso

Esta edição do Projeto marca a trigésima vez que as duplas de repentistas se unem para plateia do DF, sempre na última sexta-feira de cada mês. O Diretor da Casa do Cantador Francisco da Assis Chagas aposta que a Noite do Repente fará sucesso com os turistas internacionais na cidade.

"O público internacional aprecia muito a nossa cultura musical. Universitários da França e de Portugal vieram para assistir nosso evento em edições passadas", explica entusiasmado. "As apresentações fazem muito sucesso porque buscamos integrar duplas repentistas populares com duplas menos conhecidas", conclui.

Casa do Cantador

Considerada o Palácio da Poesia e da Literatura de Cordel no Distrito Federal, a Casa do Cantador foi inaugurada em nove de novembro de 1986 e está localizada em Ceilândia - cidade que concentra um alto de imigrantes da Região Nordeste.

O local é palco de apresentações de grandes nomes da cultura nordestina, como cantores de repente e embolada; além de receber exposições sobre a culinária nordestina; oficinas de música e trabalhos de inclusão digital. O espaço também conta com uma biblioteca batizada de Patativa do Assaré, na qual é possível encontrar um grande acervo de cordéis, como exemplares de Jorge Amado e Ariano Suassuna.

Depois de uma reforma a Casa foi reaberta em abril deste ano. O local recebeu investimento de R$ 1,5 milhão. A Casa está completamente adaptada à Lei de Acessibilidade, com estacionamento com vagas exclusivas para pessoas com deficiência, elevadores, rampas e um talude (rebaixamento da terra) para criar um parapeito ao redor do anfiteatro.

No Forte Cultural:

Comentários