Globo é contra a copa, mas a favor do lucro



Eu já disse em outro post (A imprensa e a copa) que a globo vai faturar transmitindo o jogo e depois, transmitindo as manifestações. Será vantagem dupla.

==*==

Tudo por dinheiro: Globo vende bugigangas da Fifa e explora Fan Fests

É um contrassenso o telejornalismo da TV Globo embarcar no discurso deturpado de criticar gastos públicos com o evento, quando as empresas do grupo são praticamente sócias da Fifa no empreendimento


por Helena Sthephanowitz 

publicado 11/06/2014 14:50, última modificação 11/06/2014 15:51

ARQUIVO EBC

Evento é gratuito, mas conta com patrocinadores. Várias das Fan Fests tem a produção das Organizações Globo


É estranha a bipolaridade do noticiário, e mesmo de programas de variedades, da TV Globo com relação à Copa do Mundo. Ao mesmo tempo em que critica politicamente o evento, a exploração comercial em negócios junto à Fifa vão muito além dos direitos televisivos.
A Globo Marcas é quem licencia para a Fifa "com exclusividade ao mercado", segundo o site da empresa, a fabricação e venda de bugigangas, como bonecos, camisas, bolas, malas, itens para a casa, brinquedos e outros, "além de garantir a distribuição desses produtos a todo o Brasil e todos os públicos, através de canais independentes de varejo, lojas oficiais e loja virtual".

Ou seja, cada uma dessas bugigangas vendidas, paga royalties para a Fifa e comissão para a Globo Marcas.

Outra exploração comercial é das Fan Fests da Fifa (festas de rua, com telões, shows e pontos de vendas de produtos). O evento é gratuito para o público, mas conta com patrocinadores, inclusive prefeituras das cidades-sede que bancam a montagem das estruturas. Várias dessas festas tem a produção das Organizações Globo. Logo, é um contrassenso o telejornalismo da TV Globo embarcar no discurso deturpado de criticar gastos públicos com o evento, quando as empresas do grupo são praticamente sócias da Fifa no empreendimento.

Como o Brasil é um país capitalista e é impossível fazer Copa do Mundo sem a Fifa, é normal que empresas privadas, grandes e pequenas, patrocinadores, e todo tipo de atividade com fins lucrativos, girem em torno do evento. E é bom para a prosperidade da nação, pois a criação de empregos e o crescimento no setor de serviços, sobretudo no turismo e lazer, são importantes alavancas econômicas.

A Copa é também uma enorme campanha publicitária mundial para cerca de 3 bilhões de pessoas, que se interessarão por conhecer o Brasil, nossa cultura, nossos produtos, pelos próximos anos, trazendo retorno econômico.

Anormal é a concentração econômica nas mãos das Organizações Globo. Como se não bastasse liderar o oligopólio dos meios de comunicação de massa, ainda concentra todas estas outras atividades em suas mãos, indo até o licenciamento de bugigangas.

Anormal também é o telejornalismo das Organizações Globo não falar dessas coisas como elas são, principalmente estando tão envolvida comercialmente com a Fifa como está.

No Forte Cultural:

Comentários