Países da Copa: Croácia


A Croácia, oficialmente República da Croácia (em croata: Hrvatska) é um país europeu que limita ao norte com a Eslovéniae Hungria, a nordeste com a Sérvia, a leste com a Bósnia e Herzegovina e ao sul com Montenegro. É banhado a oeste pelomar Adriático e possui uma fronteira marítima com a Itália, no golfo de Trieste.

O país é membro das Nações Unidas, da OTAN, da Organização para Segurança e Cooperação na Europa, do Conselho da Europa e mais recentemente, da União Europeia. A candidatura da Croácia à União Europeia ocorreu em 01 de fevereiro de 2003 e a adesão a 01 de julho de 2013, segundo parecer da Comissão Europeia, sendo o segundo país formado a partir do território da ex-Iugoslávia a ingressar na UE, depois da Eslovénia em 20043 .
História

Ver artigo principal: História da Croácia
Oton IvekovićA chegada dos croatas na costa do Adriático.


No ano 925 o então duque Tomislav foi coroado Rei dos Croatas, criando-se o reino que compreendia as terras desde o rio Drava até o mar Adriático. Este reinado durou até o final do século XI quando faleceu o último dos reis croatas, que passaram a ser governados por reis húngaros.

Com a invasão otomana aos Balcãs, as terras croatas passaram a ser a fronteira entre o mundo muçulmano e o cristão (estando o Norte nas mãos dos croatas e o Sul nas mãos dos otomanos).

Após a invasão pela Alemanha nazi em 6 de abril de 1941, a Jugoslávia foi desmembrada e o fascista Ante Pavelić tornou-se o líder do Estado independente da Croácia. Sob sua tutela, centenas de milhares sérvios, judeus, ciganos e croatas não-alinhados ao regime foram exterminados em campos de concentração, fato que gerou o aumento do ódio histórico de sérvios (cristão ortodoxos) massacrados pelos croatas nazistas (cristão católicos). Até hoje os croatas são acusados de nazistas por grande parte das populações da ex-Jugoslávia.

O parque dos Lagos Plitvice é o mais antigo parque nacional
no Sudeste da Europa e o maior parque nacional na Croácia.
Foto de Lugares Fantásticos
Ao final da Segunda Guerra Mundial, Josip Broz Tito não somente havia derrotado os invasores nazis e seus cúmplices, como também havia unificado todas as repúblicas jugoslavas em torno de um Estado comunista. O ódio secular entre sérvios e croatas era reprimido pelas autoridades jugoslavas. Com a morte de Tito, em 1980, iniciou-se um processo de fragilização da união das repúblicas jugoslavas. Tal quadro agravou-se ainda mais com a crise económica decorrente do desmoronamento dos regimes comunistas do Leste Europeu e das dificuldades de adaptação à economia de mercado. A Croácia, detentora da maior e mais desenvolvida economia das repúblicas da Jugoslávia, não escapou a volúpia nacionalista comum a todas as repúblicas jugoslavas. Em 25 de junho de 1991, após plebiscitos que deram vitória esmagadora aos separatistas, os croatas anunciaram sua separação da Jugoslávia. Logo em seguida, o território croata foi invadido pelo Exército federal, então sob domínio sérvio, que interveio em favor das minorias sérvias residentes na Croácia (cerca de 10% da população). Diante dos violentos conflitos entre croatas e sérvios e da ocupação do território croata por milícias sérvias, as Nações Unidas intervieram militarmente para assegurar a paz. Em 1992, o país foi reconhecido como independente. Em 1995, numa operação militar com êxito, a Croácia recupera, sem nenhuma ajuda externa, praticamente todos os seus territórios ocupados pelos sérvios, no que foi a primeira derrota do até então temível e invencível exército 
Bandeira
jugoslavo (JNA). Em 1998, sob forte pressão internacional, a Iugoslávia devolve o último território croata ocupado, a Eslavônia oriental. O governo de Franjo Tudjman, primeiro presidente eleito, foi responsável por levar o país à sua independência, recuperar os territórios ocupados (sem ajuda estrangeira) e ajudar aos bosníacos e aos bósnio-croatas na luta pela independência da Bósnia e Herzegovina. Sua administração encerrou com sua morte, em 1999. Desde então, apesar de enfrentar problemas similares aos de outros países do Leste Europeu, a Croácia experimenta um vigoroso crescimento econômico, um processo consistente de modernização da sua infraestrutura e uma grande transformação no sistema jurídico com vistas à consolidação da democracia e ao ingresso na União Europeia e na OTAN.

Vista panorâmica de Zagreb

Hoje a Croácia tem uma das economias mais fortes das ex-repúblicas jugoslavas e é a segunda maior de toda a região dos Bálcãs, apenas atrás da economia da Grécia.


Catedral de Zagreb 
Split - Cidade Croata

Split
Parque dos Lagos Plitvice
As fotos abaixo são de Cidades em Fotos
Dubrovnik é uma cidade costeira da Croácia localizada no extremo
sul da Dalmácia, na ponta do istmo do mesmo nome.

Dubrovnik

Os dados abaixo são de: Sua pesquisa

DADOS PRINCIPAIS:

Área: 56.542 km² (Aproximadamente o tamanho da Paraíba)
Capital: Zagreb
População: 4,3 milhões (estimativa 2013)
Nome Oficial: República da Croácia
Nacionalidade: croata
Governo: República com forma mista de governo.
Divisão administrativa: 20 condados e um distrito municipal (Zagreb)

Brasão de Armas da Croácia


GEOGRAFIA:

Localização: sul da Europa
Cidades Principais: Zagreb, Split, Rijeka, Osijek.
Clima: temperado continental


DADOS CULTURAIS E SOCIAIS:

Composição da População: croatas (78,5%), sérvios (12,5%), húngaros, ioguslavos, eslovenos e outros (9%). 
Idioma: croata (oficial)
Religião: cristianismo (91%), outras (2,7), sem religião e ateísmo (6,3%).
IDH: 0,805 (2012) - elevado

ECONOMIA:

PIB (Produto Interno Bruto): US$ 69,3 bilhões (ano de 2011)
PIB per capita: US$ 14.529
Força de trabalho: 2 milhões (ano de 2011)
Moeda: kuna
Desemprego: 13,4% (2011)

RELAÇÕES INTERNACIONAIS:

União Europeia, FMI, OMC, Banco Mundial, OTA e ONU.

Outras Informações sobre Croácia: site do governo

No Forte Cultural:

Comentários