Cinema: Mais de R$ 1,2 bilhão para projetos em todo o país



Durante a solenidade, a presidenta Dilma Rousseff destacou a
importância do "Brasil de Todas as Telas" para a indústria audiovisual.
A ministra Marta Suplicy (na foto ao lado do governador do Ceará,
Cid Gomes), assinou o repasse de recursos para doze projetos em seis
estados pelo Sistema Nacional de Cultura. (Fotos de Elisabete Alves)
Dois projetos, lançados nesta terça-feira (1/7), vão destinar mais de R$ 1,2 bilhão para o desenvolvimento de projetos culturais. Primeiro o programa "Brasil de Todas as Telas", que pretende colocar o país entre os cinco maiores produtores de audiovisual do mundo. O segundo é o início de repasses do Sistema Nacional de Cultura que promoverá a diversidade cultural no país, destinando R$ 19,5 milhões a 12 projetos em seis estados.

O evento, que ocorreu no Palácio do Planalto, contou com a presença da presidenta Dilma Rousseff e da ministra da Cultura, Marta Suplicy. Também participaram da cerimônia o vice-presidente Michel Temer; o presidente da Ancine, Manoel Rangel; o chefe da Casa Civil, Aloísio Mercadante; o governador do Ceará, Cid Gomes e o cineasta, Roberto Moreira. Além de ministros, governadores, artistas, diretores, atores e agentes culturais. 

A presidenta Dilma Rousseff exaltou a importância do programa para o fortalecimento da indústria audiovisual e afirmou que a inclusão social também tem que ser uma inclusão cultural para ter o cidadão respeitado em sua integridade.
"Esse fundo de R$1,2 bilhão é o maior programa de apoio audiovisual já implementado, pelo volume de recursos e pelo conjunto de iniciativas", disse. "Quando a gente vive uma cerimônia como essa a alma fica mais leve. A cultura permite ver como a vida é diversa. O que seria de nós sem cultura? Não seríamos humanos", completou. 

Na ocasião, a presidenta também afirmou que é preciso colocar em prática o Sistema Nacional de Cultura (SNC). "Ele está dando os primeiros passos para o reconhecimento de algo importante: a diversidade da cultura brasileira", comentou. 

Para a ministra Marta Suplicy, o investimento do governo no campo audiovisual significa fortalecer e afirmar a identidade e a imagem da cultura brasileira. "É o soft power que os países desenvolvem e que tem este mundo mágico como carro chefe", disse. 

"O cinema é, de longe, a mais completa e fascinante forma de expressão artística pelo simples fato de englobar todas as outras artes. O cinema produz conhecimento, dá acesso a culturas diferentes e é um poderoso instrumento de construção de imagem de um país", acrescentou.

A ministra considerou o evento como um "momento excepcional e incrível" e lembrou que "vivemos um dos períodos mais férteis", com a produção nacional de cerca de 150 filmes por ano.

Já o diretor-presidente da Ancine, Manoel Rangel, explicou que pretende levar as salas de cinema a todas as cidades com mais de 100 mil habitantes.
Benefícios
Estruturado em quatro eixos, o "Brasil de Todas as Telas" tem como objetivo expandir o mercado interno, universalizar o acesso da população aos serviços audiovisuais com investimento em produção, distribuição e programação de conteúdos.

Serão R$ 480 milhões para produção, distribuição e programação de conteúdos, relativos ao orçamento de 2014 do Fundo Setorial do Audiovisual. A estes recursos, somam-se outros R$ 413 milhões, além de R$ 310 milhões disponibilizados para a implantação e digitalização das salas de cinemas, no programa "Cinema Perto de Você". 

Formulado com base no Plano de Diretrizes e Metas para o Audiovisual, o "Brasil de Todas as Telas" é uma parceria entre o Ministério da Cultura (MinC), a Agência Nacional do Cinema (Ancine) e representantes do Comitê Gestor do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA).
De Norte a Sul 
O primeiro repasse por meio do Sistema Nacional de Cultura (SNC) vai beneficiar projetos culturais em seis estados (Acre, Bahia, Ceará, Paraíba, Rio Grande do Sul e Rondônia).

O montante, de R$ 19,5 milhões, será concedido a 12 projetos aprovados pelo edital lançado em maio do ano passado. 


Ana Saggese e Cecília Coelho
Assessoria de Comunicação do Ministério da Cultura

No Forte Cultural:

Comentários