Roleta Bíblica: O dia em que Marina Silva decidiu que sua biografia deveria ser escrita


publicado em 2 de setembro de 2014 às 18:31




Da página 20 do livro de Marília de Camargo César, “Marina”

PS do Viomundo: É curioso como muitos governantes tem seus rituais antes de tomar decisões. O presidente José Sarney consultava regularmente um jornalista-astrólogo. O presidente Ronald Reagan, depois da tentativa de assassinato à qual sobreviveu, em Washington, consultava através da primeira dama Nancy Reagan a astróloga Joan Quigley. No caso de George W. Bush, ex-alcoólatra que se tornou evangélico, também buscava inspiração divina antes de decisões importantes, como a da invasão do Iraque, que por baixo custou 200 mil mortes documentadas. Já Barack Obama, também segundo assessores, meditava com textos de São Tomás de Aquino antes de despachar drones para bombardear regiões remotas do Paquistão e Afeganistão, na qual morreram suspeitos de terrorismo mas também muitos civis. No caso do Brasil, mesmo uma decisão aparentemente simples de Marina Silva depende de ouvir Deus, mas através da chamada “roleta bíblica”.

Veja também:

Comentários