Brasil e Espanha fazem parceria para troca de experiências em transplantes

SAÚDE


Relações Internacionais
Intenção é que o Brasil consiga desenvolver técnicas em áreas menos exploradas como o transplante com coração parado e de múltiplos órgãos


Publicado: 12/11/2014 09h30Última modificação: 12/11/2014 09h30
Itens relacionados

O Brasil firmou nessa terça-feira (11) uma parceria com a Espanha para a troca de experiências em transplantes. A intenção é aprimorar as áreas menos exploradas no Brasil, como transplante com coração parado e de múltiplos órgãos.

O acordo ainda prevê a discussão da legislação e regulação na área de transplantes, a prestação de serviços à população, além da organização de reuniões bilaterais, simpósios e outros encontros, com a participação de especialistas. Segundo o Ministério da Saúde, a Espanha é referência no desenvolvimento de transplantes no mundo e tem um dos programas públicos mais avançados no setor.

A partir da parceria, profissionais do Sistema Único de Saúde (SUS) deverão ter acesso a experiências espanholas bem sucedidas, como por exemplo o programa de doação de órgãos a partir de doadores com coração parado. Nesses casos, não há chances de sobrevivência para a vítima, mas segundo o Ministério da Saúde, existem técnicas que permitem o aproveitamento não só do coração, mas também de outros órgãos sólidos, como pulmões e rins.

No Brasil, 95% dos procedimentos são feitos pelo SUS. No primeiro semestre de 2014, o País fez 11,4 mil transplantes, desse total, 6,6 mil são cirurgias de córnea, 3,7 mil de órgãos sólidos (coração, fígado, rim, pâncreas, rim/pâncreas e pulmão) e 965 de medula óssea. Em 2013, o Brasil fechou o ano com 23.457 transplantes feitos.

Fonte:



Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative CommonsCC BY ND 3.0 Brasil

Comentários