Operação da Polícia Federal desarticula organização que fraudava Previdência


A Polícia Federal (PF) e o Ministério da Previdência Social deflagaram, hoje (31), a Operação Nomadismo, com o objetivo de desarticular uma organização criminosa que fraudou, segundo estimativas, cerca de 60 benefícios desde 1998, causando prejuízos acima de R$ 40 milhões aos cofres da Previdência.

Hoje, a PF cumpre 22 mandados de busca e apreensão e 17 ordens de condução coercitiva. As investigações se iniciaram em 2010. Desde então, foi feito mapeamento das ações dos investigados. A operação conta com a participação de 130 policiais e tem o reforço de analistas do ministério.
Em nota, a PF informa que as fraudes do grupo consistiam na inserção de informações falsas na Relação Anual de Informações Sociais (Rais) e na Guia de Recolhimento do FGTS (Gfip) a fim de obter recursos que deveriam ser destinados aos segurados.

Um dos alvos da operação se uniu a despachantes, profissionais de escritórios de contabilidade, que usam empresas inativas de fachada, além de atravessadores e possíveis servidores da Previdência Social. De acordo com a PF, um dos investigados obteve o Número de Identificação do Trabalhador e o CPF de dez pessoas.

Operação Nomadismo
O nome da Operação foi escolhido em razão das constantes mudanças de endereços dos escritórios e residências dos alvos da investigação. As seguidas alterações de endereços dificultaram os trabalhos policiais e a continuidade das investigações.


Comentários