Ordem do Mérito Cultural homenageia artistas brasileiros


Marta Suplicy, Michel Temer, Dilma Rousseff, Aloizio Mercadante e 
Henrique Paim durante a cerimônia de entrega da Ordem do Mérito 
Cultural 2014. (Foto de Janine Moraes)
5.11.2014
O Palácio do Planalto abriu as portas nesta quarta-feira (5/11), Dia Nacional da Cultura, para uma homenagem a personalidades brasileiras e estrangeiras por suas contribuições à cultura nacional. Em sessão solene, a presidenta Dilma Rousseff e a ministra da Cultura, Marta Suplicy, entregaram a Ordem do Mérito Cultural a quatro instituições e a 26 personalidades, nas classes Grã-Cruz, Comendador e Cavaleiro. Esta foi a 20ª edição do prêmio, que neste ano teve como homenageadas especiais a arquiteta Lina Bo Bardi e a artista plástica Djanira da Motta e Silva. Ambas completariam um século de vida em 2014.

Conheça os agraciados de 2014

Para a presidenta Dilma Rousseff, a Ordem do Mérito permite valorizar e reconhecer a diversidade cultural existente no Brasil. "Os homenageados expressam essa diversidade que muito nos orgulha, esta mistura de sotaques, de propostas, de saberes e de manifestações culturais que compõem o mosaico que somos", afirmou. "É importante celebrar essa força imensa que a música, a pintura, a gastronomia, todas as artes representam para a nossa cultura. Que a beleza seja algo do nosso povo para o nosso povo", destacou.

"Antes, o nosso desafio era a fome. Hoje, o brado é por outro tipo de alimento, o da alma. E a cultura é esse alimento. Ao reconhecer aqueles que se destacam por seu talento extraordinário, a Ordem do Mérito Cultural colabora com o engrandecimento da nossa cultura e presta merecida homenagem aos que a constroem no dia a dia", disse a ministra da Cultura, Marta Suplicy. "Gostaria de agradecer aos homenageados pela dedicação de suas vidas a trabalhos que ficarão marcados para sempre na história da produção cultural brasileira. Vocês são a expressão maior de nossas raízes, um grande legado ao país e ao povo brasileiro", ressaltou.

Desde sua criação, em 1991, a Ordem do Mérito Cultural já foi entregue, sempre no Dia Nacional da Cultura, a mais de 500 personalidades nacionais e estrangeiras e a 60 instituições. Música, moda, artes plásticas, audiovisual, literatura, gastronomia, culturas populares, tradicionais, afro e indígena são alguns dos segmentos presentes na premiação.

A seleção dos agraciados passou por participação popular com votação em formulário on-line disponível no site do Ministério da Cultura (MinC). Na sequência, houve avaliação de uma Comissão Técnica e do Conselho da Ordem do Mérito Cultural, formado por representantes dos ministérios da Cultura, das Relações Exteriores (MRE), da Educação (MEC) e da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI). 
Premiados
O maestro Júlio Medaglia, o roteirista e diretor Orlando Senna e os familiares do falecido pintor Jenner Augusto receberam o título Grã-Cruz, o mais alto grau de premiação, seguido por Comendador e Cavaleiro, respectivamente.

Na classe Comendador, foram agraciados Bernardo Paz (idealizador do Centro de Arte Contemporânea Inhotim), Henricredo Coelho (mais conhecido como Palhaço Gafanhoto), Luiz Angelo da Silva (Ogan Luiz Bangbala), a cantora Marisa Monte, a atriz Patrícia Pillar e o falecido chef Paulo de Araújo Leal Martins.

Na classe Cavaleiro, os premiados foram o chef Alex Atala, o ator e diretor Celso Frateschi, a escritora Eliane Potiguara, o autor e ator Chico de Assis, o antropólogo Hermano Vianna, o sertanista José Meirelles, a cantora falecida Vange Leonel, o ator Matheus Nachtergaele, o estilista Oskar Metsavaht, o rapper Mano Brown, o mestre da cultura popular Tião Oleiro e a dupla sertaneja Bruno e Marrone.

Alguns artistas que já tinham recebido a homenagem ganharam novo título. A escritora Adélia Prado e o jornalista Washington Novaes foram promovidos para a Classe Grã-Cruz e o cantor Pinduca e a coreógrafa Angel Vianna, para a Classe Comendador.

Quatro entidades também foram agraciadas, mas sem grau de classe. São elas: Escola de Gente (ONG de inclusão social), o grupo de dança Ciranda de Tarituba, a Fundação Sara Kali (com atividades de inclusão do povo cigano) e o Grupo Cena 11 Cia. de Dança. 

Assessoria de Comunicação
Ministério da Cultura

Comentários