Sábado é Dia "D" contra a Pólio e o Sarampo no DF


Foto:Renato Araújo/Arquivo

Apenas 32% das crianças foram imunizadas em campanha que acaba dia 28

BRASÍLIA (20/11/14) – A Secretaria de Saúde (SES/DF) convoca os pais que ainda não imunizaram seus filhos para aproveitar o Dia "D de Vacinação contra Poliomielite e Sarampo", marcado para este sábado (22). O motivo da nova data é que a meta ainda não foi cumprida: apenas 32% do estipulado foi alcançado até agora e, no caso do sarampo, somente 27%.
A situação é mais crítica na Asa Norte, que imunizou só 19% de suas crianças contra a pólio e 17,8% contra sarampo. As regiões que mais procuraram os postos de vacinação foram o Gama, no caso da poliomielite, com 45,2% e São Sebastião, com índices de 36,3% contra o sarampo.

De acordo com a gerente da Vigilância Epidemiológica e Imunização da SES/DF, Cristina Segatto, alertou sobre a relevância da imunização. "Quero ressaltar a importância dessa vacinação contra pólio e sarampo para a manutenção da saúde infantil e pedir que os pais tragam os filhos para serem imunizados", explicou a médica.

PERFIL - Até 28 de novembro, 105 postos estarão ativos. No caso da pólio, o público-alvo são meninos e meninas a partir de seis meses de idade até cinco anos incompletos, ou seja quatro anos, 11 meses e 29 dias, o que corresponde a 182.211 crianças.

Já para o sarampo, a faixa etária é de um ano até cinco anos incompletos, ou seja quatro anos, 11 meses e 29 dias, compondo 161.045 o total de crianças no DF.

O Brasil comemora, em 2014, 25 anos livre do poliovírus, responsável pela transmissão da Poliomielite. Também se celebra o 35° ano de Campanhas Nacionais de Vacinação contra a doença.

SARAMPO – O último registro da doença no DF foi em 1999. Os últimos casos de contágio autóctone de sarampo no Brasil ocorreram em 2000 e, desde então, os casos registrados foram importados ou relacionados à importação.

O sarampo é uma doença viral aguda grave e altamente contagiosa. Os sintomas mais comuns são febre alta, tosse, manchas avermelhadas, coriza e conjuntivite. A transmissão ocorre de pessoa a pessoa, por meio de secreções expelidas pelo doente ao tossir, falar ou respirar.

As complicações infecciosas contribuem para a gravidade do sarampo, particularmente em crianças desnutridas e menores de um ano de idade. A única forma de prevenção é por meio da vacina.

POLIOMIELITE NO BRASIL - O Brasil está livre da poliomielite desde 1990, e o último registro no DF é de 1987. Em 1994, o país recebeu da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas) a Certificação de Área Livre de Circulação do Poliovírus Selvagem em seu território.

A poliomielite é uma doença infectocontagiosa grave. Na maioria dos casos, a criança não vai a óbito quando infectada, mas adquire sérias lesões que afetam o sistema nervoso, provocando paralisia irreversível, principalmente nos membros inferiores. A doença é causada pelo poliovírus e a contaminação se dá, principalmente, por via oral.

(A.S.*)

Comentários