Agnelo, Bolsonaro e a Petrobras


Estive fora da internet por mais de uma semana e neste período fiz algumas observações:

No DF, temos a impressão que Agnelo culpa o PT pela sua derrota neste ano. Tudo o que ele tem feito no final de governo parece ser destinado a evitar que o PT volte a se eleger no DF por umas três gerações pelo menos.

Um final de governo melancólico, do qual os Artistas e produtores culturais têm muito a reclamar, mas não são os únicos. As ruas, principalmente das satélites, estão cheias de buracos; os hospitais lotados, sem UTI disponível e sem medicamentos; e o mato cobre parte das cidades. 

Deixando Agnelo de lado, temos o caso Bolsonaro. Recentemente descobrimos que alguém com o discurso imbecilizante como o Lobão, tem seguidores. Parece o fim do mundo, mas quando vemos que Bolsonaro consegue encontrar quem o defenda, percebemos que ainda não é o fundo do poço e que este poço ainda tem muito lixo e esgoto para ser retirado.

A Petrobras continua sendo bombardeada pela globo e seus irmãos menores, com o claro objetivo de enfraquecer a empresa, tentando provocar a perda do pré-sal e a privatização da empresa. Não é que não se deva investigar crimes que tenham acontecido na empresa, mas não há interesse em combate à corrupção. Porque não se dá a metade deste destaque ao caso da corrupção no metrô de São Paulo? Porque a imprensa não debate e não critica os tucanos que estão envolvidos e sendo investigados naquele caso? Não! Pelo contrário! Os tucanos são todos bem tratados e seus casos são escondidos sob a pilha de jornais que tentam derrubar a maior empresa brasileira.

Enquanto isto, os árabes baixam o preço do petróleo, em uma jogada com o governo norte americano. Aproveitando mais este fato, as ações da Petrobras caem e a impoluta imprensa nacional publica suas manchetes de meia página dizendo que a queda nas ações foi por causa dos "escândalos" da empresa. Imprensa nacional, mas vendida aos interesses das grandes petroleiras mundiais.

No Forte Cultural:


Comentários