Programa Cataforte é uma política sustentável para catadores de materiais recicláveis, diz Dilma


“Vocês trabalham o passado para todos os que virão depois de nós. Na verdade, vocês são catadores de futuro”, disse a presidenta no Natal Solidário dos Catadores e população de rua. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR.

A presidenta Dilma Rousseff garantiu manutenção de medidas para catadores de materiais recicláveis e população em situação de rua na manhã desta quarta-feira (3), na V edição do Natal Solidário da Expocatadores, em São Paulo. Dilma disse que manterá o apoio ao Centro Nacional de Defesa dos Direitos Humanos e destacou investimentos do programa Cataforte, voltado para inserção de cooperativas de catadores no mercado de reciclagem e a estruturação de redes de cooperativas prestadoras serviços de coleta seletiva no País.
Segundo a presidenta Dilma Rousseff, sua presença no evento sinaliza o compromisso do Governo Federal com uma população que sempre esteve entre as mais marginalizadas do País.

“Reafirmo hoje o meu compromisso com todas as políticas necessárias para melhorar as condições de vida de vocês, que são muitas vezes submetidos a um preconceito injustificável, à intolerância, e inclusive à violência. A concepção fundamental desse governo é que todos os brasileiros tenham direitos e oportunidades iguais que garantam a todos uma vida digna e o acesso aos serviços públicos. É para isso que estamos trabalhando, para que a população de rua e para que os catadores tenham uma vida cada vez mais digna,” afirmou.

A presidenta enfatizou o papel do programa Cataforte, que além de organizar e dar voz ao movimento, permitiu ao Brasil se tornar referência internacional no tratamento de material reciclado e em políticas de sustentabilidade.

“Eu acredito que nós, juntos, atingimos com o Cataforte um padrão importante. Um padrão que torna, eu acho, o Brasil orgulhoso de uma política sustentável com os catadores. É uma política que incentiva aquilo que vai dar mais força ao longo de todo o tempo aos catadores. Primeiro, o cooperativismo; segundo, o acesso de equipamentos; terceiro, a criação de uma rede. Algo que nós conquistamos juntos. Quando a gente vai lá fora, no resto do mundo, e mostra esse programa percebe que o Brasil tornou-se diferenciado em relação ao material reciclado”, ressaltou.

A presidenta Dilma desfechou seu discurso ratificando o diálogo e parceria com os catadores de materiais recicláveis. E pontuou que eles são “catadores de futuro”, pois buscam futuro melhor para si no descarte dos resíduos de forma correta.

“Vocês transformam o passado, porque vocês trabalham aquilo que é o descarte dos resíduos. Mas vocês trabalham o passado de um jeito todo diferente: vocês trabalham o passado na possibilidade de construir um futuro melhor para vocês e para a sociedade brasileira. Vocês trabalham o passado para todos os que virão depois de nós. Por isso, eu queria chamá-los de catadores de futuro. Na verdade, vocês são catadores de futuro”, finalizou a presidenta.

Convênios e Pronatec
Na cerimônia, foi assinado convênio com a Defensoria Pública para ampliação do acesso da população de catadores e em situação de rua à justiça gratuita; à criação de 301 Centros Pop – que são centros de referência especializada voltados ao acolhimento da população de rua – além da transferência de R$ 13 milhões para apoiar empreendimentos focados nessa população.

Na Expocatadores, a presidenta também entregou certificados de conclusão de curso a formandos do Pronatec Pop Rua, vertente do programa federal de qualificação técnica para a população em situação de rua. Além do prêmio Cidade Pró-Catador criado pela Secretaria Geral da Presidência da República para incentivar, valorizar e dar visibilidade a práticas que contribuam para a inclusão social e econômica de catadores de materiais recicláveis em todo o País.

Comentários