Folclore em torno da criação da Transbrasil


Histórias que o povo conta

Um amigo (Márcio Hosken), contando como teria surgido a Transbrasil*:

Um alemão, fugindo da era Hitler, teria chegado ao Brasil e, sem outras possibilidades de sustento, começou a produzir presunto. Não, ele não estava matando ninguém. Era presunto de porco mesmo.

Os negócios cresceram, já que o produto foi bem aceito. A empresa cresceu e ele começou a vender para outras cidades e até mesmo para outros estados.

Diante dos problemas das estradas de terra, com atoleiros e muito mais, às vezes o produto ficava muito tempo na viagem e se estragava. Por isto, estando em São Paulo, o empresário entrou em uma revenda de aviões e pôs-se a olhar as aeronaves. Os vendedores começaram a fazer troça entre eles, pois havia ali, examinando tão minuciosamente aquelas máquinas caríssimas, uma espécie de Jeca Tatu, mesmo com sotaque estrangeiro, mas com roupas simples e palhas de milho no bolso, as quais usava para fazer seu "pito" quando a vontade batia.

Havia entre os vendedores um mais novinho, recém chegado, e resolveram lhe pregar uma peça. Mandaram-no atender ao caipira.

O novato abordou o "cliente" e perguntou se ele queria comprar um dos aviões.

O matuto de pronto lhe perguntou os preços de diversos modelos.

O vendedor falava cada um deles, sempre esperando uma reação de susto diante dos altos valores, mas, na verdade, o susto foi seu ao ouvir o comprador perguntar se na compra de dois poderia ter um desconto.

O alemão teria então comprado suas aeronaves e começado a distribuir presuntos pelo país.

E os amigos, sabendo das viagens, sempre pediam carona.

Um determinado dia ele observou que havia fila de espera de mais de seis meses para as caronas.
Sendo assim, resolveu fundar uma companhia aérea.

Eu preferi descrever o folclore, sendo que a história oficial pode ser lida aqui. Pelo relato, aparentemente havia mesmo a dificuldade de transporte de perecíveis, como é de se supor, nos anos quarenta e cinquenta.

*Empresa aérea brasileira, que chegou a ser a terceira maior do país. Surgiu em 1955 e abriu falência em 2002.


  • Curta a página do Forte Cultural no Facebook
  • Curta a página Resistência no Facebook
  • Siga o Forte Cultura no Twitter

Veja também:
Curtam as páginas Resistência e Forte Cultural no facebook

Comentários

Postagens mais visitadas